DICA DO ENGENHO

Paraty, uma cidade que é sinônimo de Cachaça, por Thiago Moro
  Publicado em: 01/01/2023



Compartilhe nas Redes

 

OUTROS DESTAQUES

Lei de Incentivo a Eventos
Bariloche não é só neve
As muitas faces turísticas do Paraná
DICA DO ENGENHO, por Thiago Moro | Crédito: Divulgação
Em meados de 2022 estive presente no 40º Festival da Cachaça, Cultura e Sabores de Paraty, cidade do litoral sul do Rio de Janeiro com 40 mil habitantes. Paraty é um encanto. Patrimônio Mundial da UNESCO, com seu conjunto arquitetônico colonial muito bem preservado é um excelente atrativo para quem gosta de história, bons passeios pela natureza exuberante entre o mar azul e a montanha verde, ótima gastronomia e claro, Cachaça.

No século XVIII a cidade tinha cerca de 250 engenhos de açúcar e 150 alambiques de cachaça. A produção era tão grande que o nome “Parati” tornou-se sinônimo da bebida símbolo nacional. Hoje, legalizados, restam 6 alambiques no município sul fluminense, todos devidamente visitados por mim. Era a minha Disneylândia e um sonho antigo. Os alambiques visitados por mim em ordem de visitação foram: Paratiana, Pedra Branca, Engenho D’ouro, Maria Izabel, Corisco e Coqueiro.

Como nosso espaço aqui é curto para tanta história, destaco a passagem pelo Alambique Maria Izabel, localizado a poucos metros da Baía de Paraty, tem a menor produção entre todos os seis alambiques, mas em um local belíssimo aonde tive o prazer de realizar uma visita orientada por todo o processo de fabricação com a própria Maria Izabel além de degustar as cachaças produzidas em companhia desta mesma senhora que é um grande ícone no mundo cachacístico.

Paraty, me aguarde que em breve eu vou voltar.


DICA DO ENGENHO, por Thiago Moro | Crédito: Divulgação

| Crédito: Divulgação

| Crédito: Divulgação



GOSTOU!?

Envie a sua sugestão de matéria, sua opinião ou temas para as próximas edições da Revista PG Turismo!