Maria Fumaça vira atração turística

Locomotiva é a mais antiga em operação
  Publicado em: 15/12/2020



Compartilhe nas Redes

 

OUTROS DESTAQUES

Família de SC escolhe Parque Vila Velha
Parque Vila Velha funciona em horário diferenciado
Novo complexo atenderá romeiros
| Crédito:

      Desde o final de novembro, o Turismo paranaense tem uma nova opção de lazer que relembra a história das ferrovias do estado. Em parceria com a Rumo, maior operadora de ferrovias do Brasil, a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, regional Paraná (ABPF/PR) desenvolve o Projeto Trem Caiçara, que circula entre Antonina e Morretes, no Litoral do Paraná. O principal atrativo do passeio é a Maria Fumaça Mogul 11, a mais antiga locomotiva a vapor em operação regular no Brasil.

       Com horários aos sábados e domingos, o passeio inclui um percurso de 16 quilômetros em meio à Mata Atlântica, cruzando áreas de rios e manguezais, além de propriedades rurais que margeiam a ferrovia entre os municípios. Ao todo, serão duas saídas por dia em cada uma das estações (9h30 e 14h30 em Antonina; 11 horas e 16 horas em Morretes). O retorno ao ponto dos passageiros se dá via transporte rodoviário, sendo possível a compra da passagem junto ao ingresso.

       Durante a alta temporada, de dezembro a janeiro, os turistas poderão encontrar opções de viagens também às sextas-feiras. Em função do atual período de pandemia, estão sendo tomadas todas as medidas de prevenção indicadas  pelos governos e pela Organização Mundial da Saúde. “É uma verdadeira oportunidade para pessoas de todas as idades conhecerem e reviverem os tempos áureos da ferrovia”, diz Rodrigo Dolenga, diretor da Associação de Preservação Ferroviária, acrescentando que as últimas excursões que transportaram     turistas usando a linha foram na década de 1990, e apenas em datas comemorativas.

      Para viabilizar o projeto, a Associação investiu mais de R$ 500 mil no restauro da maria fumaça e R$ 200 mil nos vagões de passageiros. Mais de R$ 700 mil foram destinados pela Rumo, responsável pela administração da ferrovia, para a revitalização e manutenção do trecho. O projeto de restauro da via foi viabilizado após assinatura de um protocolo de intenções entre a concessionária e o Governo do Paraná, realizado no final de 2019.  “Essa parceria é importante para fomentar o turismo na região, assim como já temos feito com os trens de passageiros da Serra Verde. A comunidade poderá conhecer de perto duas importantes cidades do litoral, dando um novo significado para um trecho que ainda tem muitas boas histórias para contar”, comenta Guilherme Penin, o diretor de Regulatório e Relações Institucionais da Rumo.

 

História

      O trecho que terá circulação do Trem Caiçara faz parte da Estrada de Ferro Dona Isabel, criada pelos irmãos Rebouças, engenheiros que receberam autorização em 1871 para a construção de uma ferrovia ligando o Porto de Antonina à cidade de Curitiba. Em 1875 o marco zero dessa via férrea foi transferido de Antonina para Paranaguá. O histórico ramal de Antonina foi aberto pela Estrada de Ferro Paraná em 1875, como mais uma opção para o desenvolvimento das cidades, no escoamento de riquezas da região.

      Nesse contexto, o Trem Caiçara evoca aos turistas o ano de 1892, quando ocorreu a inauguração da ferrovia Dona Isabel. À frente do passeio estará uma centenária locomotiva a vapor: a Mogul de número 11, fabricada no ano de 1884 pela Baldwin Locomotive Works. A Maria Fumaça foi a primeira adquirida pela E. F. Paraná para operar na Ferrovia Paranaguá - Curitiba, sendo utilizada até o final da década de 1950. A Mogul 11 também é a mais antiga locomotiva a vapor em operação regular no Brasil e a única no Paraná.




| Crédito:

| Crédito:

| Crédito:

| Crédito:

| Crédito:


GOSTOU!?

Envei a sua sugestão de matéria, sua opnião e temas para
as próximas edições da Revista PG Turismo!