A psicologia das cores e sua influência

Cada cor proporciona um sentimento, e a escolha certa das cores coloca os ambientes em harmonia
  Publicado em: 26/08/2020



Compartilhe nas Redes

 

OUTROS DESTAQUES

Mr. Max uma empresa genuinamente ponta-grossense
Bibas inova com serviço Drive-Thru
Aprovado projeto que altera zoneamento da Ilha do Mel
A psicologia das cores e sua influência | Crédito: Divulgação

      A escolha do tom ideal em um cômodo leva em consideração uma série de fatores: perfil do público, estilo do local, predileção do cliente, emoções que desejam ser transmitidas e outros tantos elementos que podem e devem ser levados em conta.

      O efeito que uma cor proporciona a um ambiente é surpreendente e quando utilizado da forma correta desperta determinadas áreas do cérebro que estimulam sensação de calma, confi ança e alegria. É preciso destacar sempre a importância de pensar e utilizar a cor correta em cada espaço selecionado. 

      Paredes brancas ou coloridas? Tons neutros ou mais vivos? Para que não haja dúvidas ou equívocos na hora da escolha, foram elencadas as principais funções das cores em nosso humor e a devida aplicação. Tudo para que haja uma combinação harmônica em equilíbrio ao espaço planejado.


BRANCO

      Ao contrário do preto, absorve pouca luz, e transmite menos calor ao ambiente escolhido. Visualmente o branco pode destacar e  realçar outras cores, e exprimir mais conforto. Indica-se para cômodos pequenos e com poucas aberturas.


VERMELHO

      Não é indicado para locais em que as pessoas permanecerão por muito tempo, pode causar estresse e irritação. Os tons mais rosados estimulam o carinho e afeto. Na cozinha também é preciso ter cautela, sua aplicação estimula o apetite.


VERDE

      A cor verde é indicada para ambientes de estudo, trabalho e salas de espera. É muito encontrada em clínicas médicas e hospitais.

Isso porque transmite serenidade, auxilia no relaxamento e reduz a tensão. Em seu tom mais escuro está associada a força e estabilidade.


ROXO

      Para a arquiteta o segredo está no equilíbrio entre as cores. Por isso a variação da cor roxa ou violeta deve ser trabalhada para compor ambientes mais exóticos, pois transmite uma vibração forte e é muito ligada a sensibilidade e intuição.



GOSTOU!?

Envei a sua sugestão de matéria, sua opnião e temas para
as próximas edições da Revista PG Turismo!