Um Botequim acolhedor

Turistas aprovam o bar da XV
  Publicado em: 15/12/2020



Compartilhe nas Redes

 

OUTROS DESTAQUES

Maria Fumaça vira atração turística
Retorno seguro e gradual do setor
Fábio Trindade e Tiago Stachetti
| Crédito:

               O ambiente é clássico, nostálgico. Da arquitetura, decoração à composição do cardápio, tudo lembra os velhos botequins. A comida é típica daqueles estabelecimentos e delicia seus frequentadores com rodízio de petiscos, carne de onça, picanha na chapa, escondidinho de carne seca e, aos sábados, um buffet de feijoada. Sabores que tornaram o Botequim Original da XV referência gastronômica em Ponta Grossa.

               O saudosismo também está no resgate da Cerveja Original, bem gelada, servida ali. E no chope tirado de uma chopeira tradicional Brahma, modelo retrô,  que garante o chope mais cremoso e gelado da cidade. Em tempos pré-pandemia, telões transmitiam os principais jogos dos campeonatos de futebol mais acompanhados no mundo. E a música ao vivo é um detalhe à parte.

               Para o baiano Emanuel Zanardini, o Botequim é ótimo. “Atendimento ímpar dos clientes. Local com música ao vivo, onde o rodízio de petiscos surpreende por ser incomum dos outros tipos de rodízio. O destaque fica para a carne de onça”, avalia, comentando que os preços são condizentes ao que é ofertado. Zanardini esteve em Ponta Grossa em novembro, e visitou o Botequim.

               Carlos Antônio Oliveira da Silva é de João Pessoa, na Paraíba, e veio a Ponta Grossa com um grupo de nove pessoas. Ainda que tenha um filho morando em Ponta Grossa, Silva não conhecia a região Sul do Brasil. Ele conta que viajou já para o Rio de Janeiro, Minas Gerais e Brasília. Nesse passeio, ficou alguns dias na cidade, mas também foi a Curitiba e Carambeí. Em Ponta Grossa, visitou o Parque Vila Velha, o Buraco do Padre e o Parque Ambiental. “Fui muito bem tratado pelo guia que nos acompanhou em Vila Velha. Era de uma qualidade humana muito boa, tem vocação para o Turismo, sabe tratar as pessoas que vem de fora”, ressalta.

               “O Buraco do Padre é surpreendente. Ali a gente vê o quanto Deus faz, como Ele faz e o que a natureza é capaz de proporcionar ao ser humano. Saí maravilhado. O que mais me chamou a atenção, entre as cidades que tenho viajado, foi a educação no trânsito. Todos cooperam. Estava dirigindo em um lugar que não conhecia, e, mesmo quando errei o trajeto, o povo foi bem educado”, elogia. Citando o atendimento no Botequim da XV comenta sobre a “qualidade fora do comum”. O pessoal se deliciou muito na feijoada. Saio levando as melhores impressões de Ponta Grossa. É uma cidade da qual você pode se orgulhar, com uma boa estrutura e pessoas hospitaleiras. Espero voltar. Talvez, falte um pouco mais de divulgação de uma cidade tão bela”, orienta.




| Crédito:

| Crédito:

GOSTOU!?

Envei a sua sugestão de matéria, sua opnião e temas para
as próximas edições da Revista PG Turismo!